Mais de dois meses de 36 dias

Volta e meia surgem uns novos desafios de criação na internet. Outubro tem o Inktober pra tirar o pó dos vidrinhos de Nanquim e fazer bastante sujeira em casa (adoro). Em Maio tem o Mermay pra quem curte umas sereias. Já Novembro é a época do Huevember pra brincar com cores, e por aí vai.

Pra mim, esses vários desafios que vão surgindo, além de mobilizar a comunidade criativa, também evidenciam uma das grandes dificuldades de uma prática criativa: manter uma rotina consistente. Bom, pelo menos pra mim é. E é bem irônico se você for pensar, porque quem imaginaria que um ilustrador, por exemplo, não conseguiria desenhar todo dia? Poxa, pelo menos um desenhozinho, vai…

Desde que comecei a participar do Inktober, e depois de alguns anos falhando miseravelmente, consegui ver o que funciona e o que não funciona pra mim. Eu, por exemplo, preciso de uma pré organização (listas? você disse LISTAS? Arrepiei aqui até). Tem dias que minha disposição não colabora, então eu preciso ter um plano que dê conta disso. Tem dias que eu preciso apenas entrar no piloto automático da criação. Nesses casos, um tema ou direcionamento pré definidos me ajudam muito.

Os desafios têm essas dimensões em comum: um tema direcionador (como sereias, no Mermay), direcionamentos de criação (utilizar materiais específicos como tintas e mídia física, no caso do Inktober) e um aspecto temporal bem definido. Esse tempo definido é essencial, é a luzinha no fim do túnel quando você se acha constantemente estagnado em suas práticas. Vale lembrar que mesmo com esses direcionadores, nada é fechadinho no sentido de restringir a criatividade. Por outro lado, às vezes é com recursos escassos que soluções inovadores surgem, não?

Também o aspecto de movimentar a comunidade de criação, de entrar em contato com outros artistas e seus trabalhos é muito enriquecedor. E nesse ponto eu faço uma nota mental pra mim mesma, porque é algo que eu preciso aprender. Sendo uma pessoa introvertida, o contato com os outros, mesmo que virtualmente, não vem naturalmente pra mim. Nem eu sei o que se passa direito, não sei como explicar. Seria algo do tipo: eu tenho a vontade e a necessidade de estabelecer conexões verdadeiras com os outros, mas ao mesmo tempo eu não consigo estar sempre conectada e em contato com os outros. Eu preciso daquele tempo de respiro. Eu preciso do tempo na minha bolha, sem ficar projetando cenários que alimentem minhas ansiedades. É isso? Bem, não é a toa que esse blog se chama falando sozinha com as paredes.

Autoanálises à parte, entre março e abril desse ano eu decidi participar do desafio do 36 days of type. Nesse desafio os artistas devem produzir 36 tipos ao longo de (adivinha?) 36 dias. E é pra dar uma viajada mesmo, fazer releituras, explorar materiais e possibilidades. Tem gente que ilustra, outros fazem bordado, outros 3D, fotos e por aí vaí. Eu decidi aproveitar a oportunidade pra explorar outros tipos de ilustração, pelo menos diferentes do que eu normalmente faço. Queria fazer uma mistura de elementos de prédios (o estrutural, a repetição) com algo mais abstrato (ainda), e foi isso que surgiu:

i did a good thing, i don’t regret this thing at aaaallll, i did a gooood thing (um abraço jovens tiktokers)

O desafio começou ali pelo meio de março e logo em seguida também chegou a Pandemia por aqui. E eu poderia dizer que um pouco da minha falta de organização surgiu pelo constante sentimento de ansiedade e cansaço de acompanhar as notícias. Poderia dizer que os cenários de incerteza, a indignação com o descaso do governo (pra não dizer outras coisas) me prejudicaram na produção. E talvez tudo isso tenha influenciado, mas ainda assim eu insisti em terminar. E quer saber? Isso pra mim é o mais bacana desses desafios. Não precisa ficar neurótica com as regras, você também pode seguir no seu tempo quando precisar. Afinal, tudo isso é pra você mesma no fim das contas.

treiiishhhh reais?

No fim de abril postei a última imagem (que não é essa aí de cima), mais de vinte dias depois do prazo final do ~desafio oficial~. Quem chegou por aqui de outros lugares, pode conferir cada um dos tipos no meu instagram. Logo pretendo atualizar esse projeto no Behance e tudo mais.

Deixe uma resposta