Mergulhando

A gente experiencia o mundo através das nossas lentes, da nossa superfície, do nosso contexto, de nós mesmos.

É difícil saber exatamente o que se passa no universo do outro. Por mais empático que a gente seja, estamos limitados ao entendimento através das nossas lentes, da nossa superfície, do nosso contexto, de nós mesmos.

Por isso que eu acho que me fascina tanto a arte, em qualquer formato que seja: a tentativa de tradução de universos particulares.

É difícil saber o que esse momento tem significado pra cada um, o que esse momento trouxe. Mas a gente tenta, de alguma forma, traduzir esse universo de variáveis. “Mergulhos” é um livro coletivo, organizado pelo Daniel Ianae, para falar abertamente sobre o que foi a vida (como está sendo) de diversos artistas durante esse período de isolamento. Fico muito feliz em estar ao lado de tantas pessoas que admiro, trabalhos que me inspiram muito.

A campanha de financiamento coletivo foi lançada via Catarse no início do mês passado e já atingiu os 100%! Já estou empolgada e muito feliz em muito em breve me encontrar publicada e circulando por aí. É a primeira campanha de financiamento coletivo da qual eu faço parte. Quem sabe num futuro eu me empolgo o suficiente pra lançar uma iniciativa solo?

Pra acompanhar toda essa galera que contribuiu na construção dessa publicação vale conferir também o perfil no Instagram do livro Mergulhos.

Minha contribuição fala mais sobre a relação com o tempo nessa nova rotina. Sou muito privilegiada de poder continuar trabalhando de casa e com essa nova rotina, de estar a maior parte do tempo em um mesmo ambiente, a minha percepção do tempo tem mudado. Talvez eu hoje consiga ver e entender melhor as pequenas atividades diárias. Eu me sinto mais presente nas pequenas tarefas do que acompanhando as horas, os dias e os meses que se passam.

Deixe uma resposta